Criação e Seleção de Aves Domésticas de Raças Puras

Bankiva
Carolina Grey
Faisão Canário
Ganso Cereopsis
Pavão de Ombros Negros
Perdiz da California
Tadorna Tricolor

Category Archives: Uncategorized

Patos

patos1

O homem já possuía animais desde a mais remota antiguidade.São muitas as espécies de animais domésticos que prestam serviços ao homem, seja na alimentação, na confecção de agasalhos, travesseiros e edredons, como hobby e até meso como animais de estimação.Quanto maior o desenvolvimento de um País, maior é importância da criação de animais, as quais são feitas em grande escala e com métodos aperfeiçoados.

Dentre tantas variedades, está o PATO (Carina Moschata).

Os patos são originários da América do Sul. Ainda são encontrados em estado selvagem , sendo alvo de caçadores, porém há grande quantidade deles domesticados, Foram levados da América do Sul para a Europa, principalmente França, daí se difundindo por todo o mundo, mais ou menos em 1550.

Os patos domésticos são descendentes dos patos selvagens (chamados de patos crioulos).
Existem nas variedades branca, preta, azulega e com as três cores misturadas, resultado de cruzamentos
Os patos emitem sons baixos, ao contrário das patas que são mais barulhentas.

Cruzam com muita facilidade entre eles, sendo que um macho acasala com várias fêmeas, e se criados juntamente com marrecos, também acasalam com eles, originando assim uma ave híbrida, estéril conhecido como paturi ou paturoba, com carne de ótima qualidade.

Gostam de mexer em poças d’água, até fazer lama, e comem quase tudo o que encontram. São herbívoros por natureza, possuem um bico muito resistente e tem a cara recoberta por carúnculas vermelhas, formando uma espécie de máscara, se não tiverem as penas guias das asas aparadas, alçam vôos altos, são excelentes nadadores e mergulhadores.

Os patos são criados para a produção de carne, que é muito saborosa, ovos que são muito utilizados na culinária e também para fazer fortificantes para crianças, e as penas e plumas, que após serem devidamente tratadas são desfiadas e utilizadas na confecção de edredons, travesseiros etc.

A criação de patos deve ser feita em locais que tenham água, embora seja perfeitamente possível criá-los em locais secos, colocando-se recipientes com água fresca e limpa, para que eles possam beber e tomar banho.

Criar patos é muito fácil, é um animal resistente, as patas são ótimas mães, chegando até a serem utilizadas como amas para chocarem e criarem aves de outras espécies.

As patas iniciam a postura por volta de 6 e 7 meses de idade, tendo uma produção média anual de 80 a 100 ovos, quando não param de botar para chocar os ovos.

O período de incubação dos ovos é de 28 a 30 dias. Na incubação natural,, isto é, quando os ovos são chocados pela própria mãe, as patas defendem seus ninhos e suas ninhadas, chegando a atacar pessoas ou animais que se aproximem.

Pode se usar também incubadoras artificiais ou outras aves para chocar os ovos, tais como galinhas e peruas.

Os patinhos da variedade branca (Alemão Gigante) nascem amarelos , e os da variedade preta (Muscovy), nascem pretos ou malhados com desenhos amarelos na cabeça, nas costas ou na parte inferior do corpo. São muito resistentes, comem de tudo e se forem criados com a mãe, podem ir para a água logo nos primeiros dias. Embora sejam aves aquáticas o seu maior inimigo é a umidade, portanto se forem criados em criadeiras artificiais ou com amas que não sejam aves aquáticas, só devem ir para a água após estarem pelos menos 80% empenados, pois a penugem deles encharca e ficam sujeitos e problemas respiratórios.

Outro problema para os patinhos são as chuvas fortes e ventos frios, por isso devem ficar em criadeiras com aquecimento, caso não sejam criados com a mãe.

Seu crescimento é rápido e com 3 meses já estão no ponto de serem abatidos para consumo, desde que tratados com rações balanceadas. São aves que engordam com facilidade chegando a ficar com a barriga quase arrastando no chão, ficam preguiçosos.

Os reprodutores devem ser separados em cercados ou viveiros com água fresca e limpa, alimentação adequada, para que se tenha um bom resultado de produtividade e abrigo para os ninhos que podem ser feitos com caixotes, pneus velhos deitados no chão com o meio cheio de palha bem seca, ou cestos de palha também com palha seca dentro.

Em 10 metros quadrados, pode-se colocar 7 cabeças (1 macho e 6 fêmeas), obtendo-se assim um ótimo resultado tanto no desenvolvimento das aves, como na reprodução das mesmas.

As rações utilizadas são as mesmas das galinhas, respeitando-se a fase de idade isto é: ração balanceada para pintos de 1 dia ou ração inicial (para os filhotinhos), ração balanceada de crescimento (para filhotes acima de 30 dias de idade) e ração balanceada de postura ou para poedeiras (para aves em reprodução) e ainda a ração de engorda no caso de aves para abate.

Porém eles comem de tudo, restos de verdura da horta, frutas, legumes, grãos.

Produzem muito, comem de tudo, são resistentes, crescem rapidamente , exigem poucas instalações, portanto sua criação é recomendada para propriedades de pequeno à grande porte, colaborando assim para um melhor padrão alimentar do ser humano, proporcionando ainda bons lucros.

Características da raça:

Corpo comprido, peito largo e empinado para a frente

Pescoço curvo, de comprimento m édio

Bico de largura mediana, relativamente curto, com a ponta superior virada para baixo.

Olhos pequenos com carúnculas (verrugas) vermelhas em volta de toda a cara.

No macho as carúnculas são mais pronunciadas do que nas fêmas.

Asas grandes e fortes

Coxas curtas e gordas, canelas curtas e patas interligadas por membrana interdigital.

Cor branca( Alemão gigante)

Preta e verde petróleo com uma faixa branca nas asas (Muscovy)

Azul (cinza ou azulega) ou cinza com branco.

Os machos pesam em torno de 4.500 a 5.000 kg e as fêmeas 3.200 a 3.500 kg dependendo da forma que forem criados, As aves criadas em confinamento ganham peso com mais rapidez e a carne fica mais macia, desde que tratados com alimentação adequada. Aves criadas a pasto (soltas) demoram mais para ganhar peso e a carne fica mais enrigecida.

Os patos , bem explorados,. Provavelmente são a espécie que oferece uma das melhores perspectivas econômicas ao criador. Requerem um investimento relativamente pequeno para iniciar a criação e podem ser comercializados em qualquer etapa de produção: ovos, filhotinhos, jovens , adultos. Podendo-se ainda fazer o aproveitamento do esterco, das plumas e penas.

Infelizmente no Brasil não existe literatura especializada a respeito da criação de patos, apenas algumas edições com informações básicas e experiências de criadores dedicados.

Para criar patos não se necessita de conhecimentos profundos nem de estudos especializados.

Dentro do campo experimental, é bem pouco o que se tem feito sobre a criação de patos, bem como no que se refere a investigações zootécnicas, mas obtiveram-se grandes avanços no setor produtivo e comercial.

Há vários itens aos quais os futuros criadores devem prestar atenção: escolha do local para a criação, instalações simples mas adequadas, cruzamentos corretos, melhoramento racial e boa alimentação.

Basicamente as mesmas orientações para uma criação de galinhas podem servir para a criação de patos, embora diferem um pouco uma da outra, pois a criação de patos ainda é mais fácil, o que se traduz em vantagens para o criador.

São animais sossegados, só se irritando quando disputam as fêmeas e na defesa dos ninhos, ainda em bandos e normalmente o macho mais velho é o líder.

Por serem resistentes, não necessitam de instalações sofisticadas, podem viver soltos, em espaços reduzidos ou em total confinamento, em casos de engorda.

Como todo animal aquático, a água é indispensável , se possível em abundância, caso não seja possível, deve-se colocar recipientes grandes com água limpa e fresca, para que eles possam tomar banho e quando o acasalamento acontece na água, a fertilidade dos ovos é bem maior, visto que a água é seu elemento de desenvolvimento.

São poucas as enfermidades que atacam os patos, a sua plumagem densa é resistente às mudanças de temperaturas, devido a estas condições e principalmente por ser uma ave aquática resiste bem a climas frios, apenas sendo necessário o aquecimento nos filhotes nascidos em chocadeiras.

Na cria natural, os ninhos devem ser forrados de palha bem seca, arejados e protegidos contra vento e sol forte.

Os patos são animais muito resistentes, possuidores de força vital que podem aclimatar-se nos diferentes países do globo. São também vorazes, necessitando que tenham comida em abundância, às vezes é mais importante a quantidade do que a qualidade , dependendo a que se destina a criação.

Os adultos vivem quase todo o tempo ao arlivre, mas é necessário uma boa sombra sobretudo no verão, quer seja por árvores ou coberturas artificiais.

A incubação e a primeira fase de idade são as etapas que requerem detalhes um pouco mais especiais no que se refere às instalações.

Caso a incubação seja feita em chocadeiras, as mesmas devem ficar em locais abrigados e secos, caso seja incubação natural, os ninhos também devem ser bem protegidos e abrigados de chuvas, vento e sol forte.

Quando crescem, não há necessidade de variar muito a alimentação, comem tudo o que têm ao seu alcance e que consigam digerir, porém para se obter bons resultados na criação é necessária uma alimentação balanceada.

A criação de patos não oferece grandes dificuldades, além disso, pode-se dizer que são as aves mais fáceis de criar e por isso as que dão maior satisfação ao criador. Salvo exceções, desde o primeiro dia de vida, se a criação for racional, o número de baixas é insignificante. Isto deve-se principalmente ao fato de serem aves resistentes, fáceis de alimentar, suportam bem as trocas de temperaturas e são quase imunes à maioria das doenças comuns a esse gênero de ave, o que não significa que estejam livres delas e que se possa deixá-las sem os cuidados necessários para prevenção.

Deve-se encarar a criação segundo a finalidade pretendida. Quando a finalidade é a produção de ovos, tem que se ter presente as melhores poedeiras e os machos de maior vitalidade. Os reprodutores devem ser tratados com alimentação adequada, não esquecendo que só deverão ser selecionados para reprodutores as aves que se consideram melhores e na quantidade que atenda as necessidades do criador. As outras aves serão descartadas para venda, ou engorda e abate, tais como exemplares velhos e poedeiras deficientes.

As fêmeas são a base do negócio no caso de produção de ovos.No caso de produção de carne para consumo, a base maior são os machos devido ao maior peso, tamanho e consequentemente maior produção de carne, haja visto que as fêmeas sempre são menores, porém têm grande importância para que se produzam mais filhotes que futuramente serão comercializados e assim sucessivamente.

Os filhotes produzidos natural ou artificialmente , não devem ser alimentados nas primeiras 24 horas após o nascimento (alguns criadores contestam esse período e o reduzem para 12 a 15 horas), pois ainda estão digerindo parte de gema com que se alimentam durante o período de incubação. Após esse período deve-se fornecer água limpa e fresca e ração inicial. Não devem sobrar restos de ração nos comedouros. Caso isso aconteça, os mesmos devem ser bem lavados e secos e novamente abastecidos. Os restos de ração podem fermentar, ocasionando a formação de bactérias e fungos que são extremamente prejudiciais às aves. Pode-se colocar pequenos comedouros com areia bem seca, o que vai ajudar na digestão das aves. Pode-se também servir verduras picadas, menos alface,

Nunca se deve abandonar a prática da higiene para evitar possíveis problemas de saúde.

Não se deve esquecer que o bom resultado dos nascimentos dependem da boa constituição física dos pais e que a qualidade dos filhos será um reflexo dos pais, pois as características são hereditárias. Por isso se a criação for para produção de carne, serão selecionados exemplares de grande porte e bom desenvolvimento, fortes e com peito largo para que transmitam essas características aos seus filhos, por outro lado se o objetivo é a produção de ovos, procura-se selecionar exemplares que tenham desenvolvido essa característica em maior grau (as fêmeas) e que sejam filhos de melhores poedeiras.

É importante que se façam acasalamentos com aves de sangue diferente, evitando-se assim a consangüinidade entre machos e fêmeas, que fatalmente ocasionarão defeitos nas aves e diminuirão o tamanho das mesmas. Deve-se acasalar fêmeas de uma família, com machos de outra e assim sucessivamente. É importante a introdução de sangue novo, quer seja acasalando exemplares da própria criação mas de famílias diferentes, quer seja comprando aves de outros criadores idôneos.

Após o terceiro ano de postura as fêmeas diminuem a quantidade de ovos, sendo interessante a renovação do plantel.

Alguns criadores acreditam que os filhotes mais fortes e vigorosos, são aqueles nascidos de fêmeas de 2 anos de vida. As aves muito jovens ou muito velhas produzem exemplares de qualidade inferior.

Os 10 primeiros ovos que a fêmea botar, após ter o macho no mesmo viveiro, devem ser descartados, pois podem não estar fertilizados. Esses ovos poderão comercializados ou utilizados na culinária, para fazer bolos, pães, biscoitos, etc.

A melhor fase de fertilidade dos machos é aos 2 anos, contudo não se descartam casos de fertilidade em machos de 4 a 5 anos.

Para patos destinados ao abate e para que a engorda seja eficaz eles não devem destinadas à engorda as aves cujo estado sanitário não deixe nada a desejar,pois caso contrário os resultados serão desastrosos, havendo prejuízo. As aves de engorda devem estar livre de parasitas, como por exemplo os piolhos , pois elas tornam-se inquietas, prejudicando todo o processo de engorda que deve ser feito em ambiente calmo e tranqüilo, para se ter bons resultados.

Quando se pensar em escolher os reprodutores, é importante saber que nem todas as variedades têm as mesmas qualidades, alguns patos se diferenciam pelo seu tamanho, obviamente produzem maior qualidade de carne, porém podem crescer com mais lentidão o que nem sempre é conveniente comercialmente falando.

Pode-se dizer , como regra geral, que os patos comuns (capiras) tem uma resistência maior, porém não alcançam preços tão bons quanto os de raça.

Limpeza e bons cuidados são importantes para evitar as doenças nos patos, que apesar de serem bem raras, podem acontecer.

As mais freqüentes entre as aves aquáticas são os resfriados (coriza) e as diarréias, que são curadas com antibióticos e alimentação adequada.

Outro fator importante na criação de patos é a vacinação das aves, bem como a vermifugação duas vezes ao ano.

Há espécies , resultados de melhoramento genético, destinados a corte.

São aves híbridas, não se reproduzem.

Deles até as penas se aproveitam, a criação pode ser desenvolvida em pequenas áreas e não exige grandes investimentos em instalações, alimentação e mão de obra.

Essas aves crescem rapidamente e são de grande utilidade. Além do aproveitamento de tudo, como penas, carne, ovos, esterco, víceras, ainda se pode fazer a consorciação com outros animais, tais como coelhos e peixes, o que apresenta ótimos resultados.

Os patos não devem ser criados em gaiolas ou pisos ripados e/ou telados, pois isso ocasionará a formação de calos, que são extremamente doloridos e causarão problemas na locomoção das aves.

Classe: ave

Subclasse: Neomithes

Ordem: Anseriformes

Família: anatidae

Espécie: Cairina Moschata

ESSE É O NOSSO AMIGO PATO

Carne de pato (/100 gramas)

Calorias: 159,0

Proteínas Gr.s: 21,40

Gorduras grs: 8,20

Cálcio grs; 0,010

Fósforo grs: 0,240

Ferro mg 1,71

Ovos de pata

São brancos, tem forma alongada, seu peso médio é de 80 gramas e medem em torno de 6,6 cm de comprimento por 4,8 cm de largura.

Ovos

OVOS TEMPO DE INCUBAÇÃO Cisnes de 36 a 40 dias (dependendo da variedade) Codornas de 17 a 23 dias (dependendo da variedade) Faisões de 22 a 27 dias (dependendo da variedade) Galinhas D angola 28 dias Gansos de 28 dias a 30 dias Marrecos de 28 dias a 30 dias Carolina e Mandarin 35 dias… Continue Reading

Galinhas d’ Angola

Resistente, rústica, arisca e boa voadora, a Galinha d`Angola também é conhecda como Galinha da Guiné, Galinha da Índia, Galinhola, Angolinha, Cocá, Conquén. Apresenta-se nas seguintes colorações: cinza, branca, cinza escura com pintas brancas (pedrez) , cinza clara (azul), pampa (resultado do cruzamento da pedrez com a branca) . As Guteras são exóticas e criadas… Continue Reading

Patos e Marrecos

  Deles até as penas se aproveitam.   A criação de patos e marrecos, em escala doméstica, pode ser desenvolvida em pequenas áreas e não exige grandes investimentos em instalações, alimentação e mão de obra.   Essas aves crescem rapidamente e são de grande utilidade, pois delas aproveita-se tudo: penas , carne e ovos. Além… Continue Reading

Codornas

No Brasil é muito comum a criação de Codornas pela facilidade e baixo investimento.As codornas podem ser criadas em espaços livres ou em gaiolas, na proporção de um macho para três fêmeas e chegam a botar 300 ovos por ano, dependendo do manejo. Esses ovos podem ser destinados à reprodução ou para consumo humano, cuja… Continue Reading

Garnizés

  A variedade de cores hoje disponíveis nas galinhas de raça, é resultado da seleção humana, nos últimos 130 anos, tentando obter novos pigmentos nas penas nas aves.   Para a natureza , depois de camuflados, os galos selvagens, tiveram simplificada sua habitação para viver nas florestas, protegidos de seus predadores, sendo desnecessário alterar sua… Continue Reading

Galinhas Gigantes

  Maiores em tamanho, peso e mais resistentes a doenças, as raças gigantes ornamentam sua propriedade ao mesmo tempo em que aumentam a produção de ovos e melhoram sua criação.   Com alguns frangos gigantes você pode melhorar a linhagem de seu plantel de galinhas caipiras, aumentando a produção de ovos de qualidade superior, além… Continue Reading

Pombos

  Os pombos pertencem a uma ordem de aves- COLUMBIFORMES – que reúne aproximadamente 300 espécies em todo o mundo.   Alimentam-se com grãos, frutas, sementes , quando adultos . Os filhotes são alimentados pelos pais, que regurgitam o alimento em seus bicos.   Para fazer os ninhos, machos e fêmeas trabalham juntos buscando gravetos,… Continue Reading

Perdizes

  As perdizes são muito apreciadas como aves ornamentais e também pela sua carne muito saborosa. As variedades mais conhecidas no Brasil são a Perdiz Chuckar, a Perdiz da Califórnia e a Perdiz Portuguesa.   De manejo simples, essas aves rústicas necessitam de viveiro telado, com piso de areia e não necessitam de poleiros. A… Continue Reading

Faisões

  O faisão é uma obra de arte com penas. Originário da Ásia, é conhecido pela exótica beleza das plumagem no mundo inteiro. Dele tudo se aproveita – penas, ovos, carne que é muito saborosa, e o esterco, ótimo fertilizante.   Ariscos e desconfiados, os faisões são classificados em dois grupos: corte e ornamentais.  … Continue Reading

Gansos

  Nos antigos desenhos egípcios encontrados nas pirâmides (3.000 a 4.000 a.C) pode-se ver uma cozinha típica, onde eram preparados gansos.   Na Grécia (1.000 a.C) o ganso já era conhecido, porque Homero (950 a.C) fala na “ Odisseia) que Penélope, mulher de Ulisses tinha em sua casa 20 gansos.   Na Roma antiga havia… Continue Reading

Pavões

  Possuidores de rara beleza, enfeitam jardins, a carne saborosa torna-se um luxuoso banquete e criá-los comercialmente pode ser um ótimo negócio. Originário da Índia, o pavão espalhou-se pelo mundo em criações domésticas ou em escala comercial, pois são aves que atingem alto preço na venda de ovos, filhotes, adultos ou das plumas de um… Continue Reading

Perus

  Tanto a nível doméstico como comercial não é difícil criar perus. São necessários alguns cuidados como boas condições de manejo, de higiene e alimentação, principalmente até o sexto mês de vida dos peruzinhos. Daí em diante, tornam-se resistentes e rústicos. São criados especialmente para produção de carne, com opção para a venda de peruzinhos… Continue Reading

Cisnes

Descendentes dos cisnes selvagens da Europa, não se sabe em que região se realizou a domesticação, sabe-se que a mesma ocorreu, provavelmente, na idade média. Os filhotes nascem cobertos de penugem e podem sair nadando pouco depois de nascidos. As asas e penas de vôo demoram para crescer. Os ninhos são feitos perto da água,… Continue Reading